Clinica Jardim
Avenida Getúlio Vargas, 473
Estância - Sergipe - Brasil
Tel. (79) 3522-0234

 
Cuidados no Pós-parto

A espera terminou e o bebê nasceu! A alta da maternidade marca o início de uma nova etapa na vida da mãe. Além da atenção com o bebê, nas primeiras semanas, ela deverá tomar alguns cuidados para que sua recuperação aconteça da melhor forma.

 

Repouso

 

Por ter que acordar durante a noite para amamentar o bebê, a mãe pode sentir cansaço e irritação. Se ela não descansar o suficiente nas horinhas em que o nenê dorme, a probabilidade de sofrer de depressão aumenta.

 

Além disso, a mulher não deve retomar rapidamente as suas atividades. A carga de afazeres tem que ir aumentando gradativamente, dos mais leves para os mais trabalhosos. Por isso, a nova mãe é que deve perceber seu limite. O parâmetro, neste caso, é observar a dor. O esforço deve ser limitado pela intensidade desse sintoma.

 

Em geral, no fim de 30 dias, a maioria já é capaz de cuidar de sua casa sem problema. No caso de quem teve parto cirúrgico, caminhar é uma forma de estimular o intestino e fortalecer a musculatura abdominal distendida na gravidez.

 

Cuidados com os Pontos do Períneo

 

Os pontos da vagina podem inchar depois do parto, pois esta região é bastante vascularizada. A bolsa de gelo evita esse problema.

 

O cuidado maior, porém, deve ser com a higiene do local. Após usar o banheiro, deve-se fazer um banho de assento com os produtos indicados pelo obstetra, enxugar bem a área e aplicar um spray ou pomada analgésica e anti-séptica.

 

Os pontos da episiotomia não precisam ser retirados, pois são absorvidos pelo organismo em quinze dias ou trinta dias.

 

Cuidados com os Pontos da Cesárea

 

Os pontos devem ser mantidos higienizados e secos para prevenir infecções. Alguns médicos também orientam a cobertura da cicatriz com um esparadrapo poroso chamado micropore.

 

Pode ser feito curativo diário com álcool iodado ou álcool a 70%.

 

Os pontos geralmente precisam ser retirados com oito dias, porém, dependendo do fio utilizado na sutura, podem ser reabsorvidos pelo organismo, sem que para isso necessitem ser retirados.

 

A cicatrização externa demora em torno de 20 dias. A interna pode levar até seis meses, uma vez que no parto cirúrgico o médico corta sete camadas de tecidos para chegar ao bebê.

 

Gases

 

Como o intestino funciona mais devagar devido às alterações hormonais, a quantidade de gases tende a aumentar. Para estimular o órgão, adote uma dieta rica em fibras, líquidos e caminhe sempre que possível.

 

Uso de Laxantes

 

A medida não é obrigatória. No entanto, pode facilitar as primeiras evacuações. É que, em geral, a mulher teme sentir dor no local dos pontos.

 

Uso da Cinta

 

Ao pressionar o abdome, a cinta pode proporcionar uma sensação de conforto e segurança, sobretudo para quem fez cesárea. Por isso, seu uso é opcional em passeios, desde que seja após o funcionamento do intestino.

 

No dia-a-dia, porém, é contra-indicado, pois impede a mulher de exercitar a musculatura do abdome ao sentar, levantar e caminhar.

 

Carregar Peso

 

Isso varia de acordo com a carga. Os médicos orientam as mamães a carregar volumes de até 5 quilos sem correr riscos. Mas só devem pegar objetos ou crianças mais pesadas 30 dias depois do parto.

 

O esforço para levantar um filho de dois anos ou o carrinho do nenê, por exemplo, provoca uma força abdominal que pode romper alguns pontos, causando dores e inchaços, além de alterações na cicatrização, como aparecimento de hérnia e cicatriz hipertrófica (grossa).

 

Para quem fez parto normal, o aumento da pressão no abdome pode provocar a queda da bexiga. Por isso, é preciso ter bom senso durante as atividades domésticas nessa fase.

 

Exercícios Físicos

 

No primeiro mês, devem ser feitos exercícios para fortalecer o períneo (prender a musculatura como se fosse segurar a urina, depois soltar). Eles podem ser praticados a partir da primeira semana.

 

Atividades como nadar ou fazer caminhadas só devem ser retomadas 45 dias após o parto, desde que não haja impedimento médico.

 

Corrida e ginástica aeróbica, depois de dois meses. Esportes coletivos ou radicais que envolvam impacto ou movimentos bruscos devem ser evitados por três meses.

 

Dirigir Carro

 

A maioria dos obstetras autoriza a mamãe a voltar ao volante somente 20 dias após um parto vaginal e 30 dias após uma cesariana. Isso porque o movimento de pisar nos pedais exige muito da musculatura do períneo e a do abdome, podendo prejudicar a cicatrização. Além disso, como a mobilidade vai estar mais lenta devido à limitação provocada pela dor, pode aumentar o risco de acidentes.

 

Sexo

 

Deve-se evitar a relação sexual convencional nos primeiros 30 dias. Como os vasos do útero no local onde estava inserida a placenta estão abertos, há riscos de contaminação e infecção. Além disso, o atrito do pênis no útero durante a penetração pode causar dor e desconforto.

 

Passado esse prazo, as relações devem ser iniciadas de maneira lenta e progressiva. No início, é comum a sensação de ardor. Se persistir, o médico pode indicar remédios de uso local que aliviam o mal-estar.

 

Subir Escadas

 

O importante neste caso é ter cautela. Quem mora em sobrado, deve descer as escadas pela manhã e subir à noite nos primeiros sete dias. Só mais tarde deve aumentar o número de vezes, orienta o médico.

 

Perigo de Engravidar

 

Embora as chances sejam reduzidas, pois a amamentação tende a retardar o retorno da fecundidade, o risco existe. O melhor é evitá-lo, recorrendo a um método contraceptivo eficaz e de uso permitido durante a amamentação, como pílulas à base de progesterona, contraceptivo injetável hormonal trimestral, DIU, implante hormonal, preservativo ou diafragma.

 

Queda de Cabelo

 

Isto acontece nesta fase porque o nível de estrogênio é alterado e os hormônios produzidos durante a amamentação aceleram a queda dos fios. Não fique preocupada, pois se trata de algo passageiro.

 

Febre

 

Quase sempre este sintoma indica uma possível infecção. Sua ocorrência indica a necessidade de procurar um médico.

 

Hemorragia

 

A mulher costuma sangrar até 40 dias após o nascimento do bebê, mas a quantidade é pequena e reduz cada vez mais com o passar dos dias

 

Períodos de sangramento intenso indicam que algo está errado e que precisa procurar um médico.

 

Banho

 

A mãe pode lavar a cabeça sem restrição alguma, desde o primeiro banho após o parto.

 

 

Obs.: O material existente no site CLÍNICA JARDIM, tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos. Todos os artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, serem utilizadas como substitutas ao diagnóstico ou tratamento de qualquer doença, sem que antes tenha sido consultado um médico.